quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Capacitação do IEAv em sensores inerciais

.
IEAv amplia capacitação em sensores inerciais

19/10/2010

No início de 2010, o Instituto de Estudos Avançados (IEAv) iniciou projeto de desenvolvimento de sensores micro-eletro-mecânicos com o Centro Suíço de Eletrônica e Microtecnologia (CSEM).

O domínio desta tecnologia permitirá a miniaturização de centrais inerciais e outras aplicações de interesse do Comando da Aeronáutica.

Entre as grandes inovações do projeto estão a alta temperatura de operação e a fusão de lâminas de semicondutores, o que permitirá a operação dos sensores em ambientes altamente hostis, como veículos lançadores, armas inteligentes e poços de petróleo do pré-sal.

Especificamente, o sensor ora em desenvolvimento é um acelerômetro miniaturizado. Estes sensores consistem em pequenas partes móveis fabricadas em semicondutores e acopladas a um controle eletrônico. As dimensões dos dispositivos são da ordem de micrometros a milímetros, dependendo dos graus de estabilidade e sensibilidade desejados.

Para fabricá-los, utilizam-se técnicas de micro e nanofabricação desenvolvidas pela indústria de microeletrônica para a fabricação de circuitos integrados.

Este esforço é financiado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), do Ministério da Ciência e Tecnologia, sendo que o IEAv lidera um grupo de instituições formado ainda pela Universidade de São Paulo e pelo Centro de Tecnologia de Informação Renato Archer.

O Cel. Av. Carlos Fernando Rondina Mateus, Coordenador-Geral do projeto, afirma que esta mesma tecnologia poderá ser utilizada para fabricar girômetros (sensores de rotação) miniaturizados para centrais inerciais altamente compactas, filtros de radio frequência para operação de radares, e até mesmo controlar superfícies aerodinâmicas em velocidades hipersônicas.

Com isso, o IEAv continua a contribuir decisivamente para propiciar ao País a independência tecnológica em sensores estratégicos.

Fonte: IEAv, editado pelo blog.
.

3 comentários:

RaulPMicena disse...

Muito bem!

Resta saber quem fabricará estes pequenos CIs (circuitos integrados) aqui no Brasil e em baixa escala. Talvez o CEITEC?

E o projeto atual de plataformas inerciais para o VLS-1, já está pronto?


abraços

Andre Mileski disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre Mileski disse...

A CEITEC é um bom palpite, Raul. Eles têm apoio do governo, via FINEP. Sobre o projeto SIA (Sistemas Inerciais para aplicações aeroespaciais), a última atualização que eu tive é que eles estavam testando alguns modelos numa montanha russa em Vinhedo (Hopi Hari). Abs., André