sexta-feira, 25 de maio de 2012

Cooperação Brasil - Suécia


AEB recebe visita de delegação sueca

25-05-2012

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, recebeu na última quarta-feira (23), a visita de uma delegação Sueca, composta pelo Presidente da Agência Nacional Espacial Sueca (SNSB), Sr. Olle Norberg, e pelo diretor da Corporação Espacial Sueca (SSC), Sr. Stefan Gardefjord. O tema do encontro foi a possibilidade de aprofundamento das relações entre Brasil e Suécia na área espacial.

Como os tópicos da reunião incluíam a participação sueca no Veículo Lançador de Microsatélites (VLM-1), foi necessária a presença da parte alemã, representada pelo Prof. Félix Hueber do Centro Aeroespacial Alemão (DLR), parceira do Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA) no referido projeto.

As discussões, no entanto, não se limitaram ao projeto do VLM-1. Ainda foi tema do encontro a possibilidade de participação dos dois países na elaboração de experimentos científicos em ambiente de microgravidade, por meio de foguetes de sondagem, de experimentos em balões estratosféricos, de pesquisas da anomalia do campo magnético da Terra; em pesquisas científicas sob o uso pacífico do espaço e sobre experimentos tecnológicos em satélites. Também foi abordada a possibilidade de intercâmbio de pesquisadores e estudantes dos dois países por meio do programa Ciência Sem Fronteiras.

Participaram  do encontro  pela AEB do encontro o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento, Thyrso Villela, o diretor de Transportes Espaciais e Licenciamento, Nilo Andrade, o diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos, Himilcon Carvalho e o  chefe da Assessoria de Cooperação Internacional, José Monserrat Filho. Pelo DCTA estiveram presentes o chefe das Relações internacionais, Cel. Medeiros, o Sub-Diretor de Espaço do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE/DCTA), Cel. Santana Jr e o Dr. Luís Loures, Gerente do VLM-1.

Fonte: AEB
.

Um comentário:

RaulPMicena disse...

Olá, muito provavelmente a participação sueca se trata de um pequeno propulsor de propelente líquido a ser instalado sobre o motor S-44, caracterizando-se como uma das várias versões de 'upper-stage' propostas para o VLM-1.
Uma vez desenvolvido o VLM e suas versões de desempenho melhorado, creio que não sejam mais necessários os VLS-1 tradicionais, podendo até encerrá-los de vez.
abraços